Cotada para o Brasil, Opel prepara 8 novidades até 2020
16 de outubro de 2018 – 11:19 | Comentários desativados

Alemã prepara os sucessores do Corsa e do Mokka X e também na eletrificação da gama
Empresa que atua de uma forma muito transparente na hora de comunicar suas estratégias, algo raramente visto no setor, a …

Ler post completo »
Curiosidades

F1

Mercado

Motos

Novidades

Home » F1

Warwick diz que excesso de regras está matando a F1

Submitted by on 30 de abril de 2015 – 13:53No Comment

01

Para o ex-piloto, Derek Warwick, o excesso de regulamentações nos motores e caixas de câmbio estão matando a Fórmula 1.

Nos últimos anos, uma grande limitação nos propulsores e nas peças de velocidade dos carros tem feito com que os times tenham que quebrar a cabeça para cumprir a regra, sem que aconteçam punições e para o inglês, esse malabarismo prejudica a categoria.

“Eu compreendo inteiramente a teoria restringindo as caixas de marchas e motores, mas está matando a categoria para a TV e os espectadores. A maioria dos pilotos estão apenas dando 10 voltas nos treinos, porque estão economizando algo, seja motor, unidade de potência, caixas de câmbio, etc”, comentou.

“Então, os regulamentos são um tipo de tiro pela culatra, o princípio está certo, mas algo precisa mudar para tornar emocionante a F1, para fazer os pilotos parecerem como gladiadores. No momento não vejo pilotos de F1 como gladiadores, eu os vejo como máquinas polidas e ajustadas de relações públicas, que são grandes pilotos e tem sorte o suficiente para pilotar os carros”, falou.

“A única coisa que eu odeio me ouvir dizendo é ‘no meu tempo’, mas é bem verdade que naquele tempo os carros que costumava pilotar eram animais. Tínhamos 1.600 hp de potência e downforce que faziam seus olhos saltarem para fora. Nós saíamos dos carros física e mentalmente destruídos, esses caras parecem que acabaram de dar duas voltas no quarteirão”.

“Você vê um jovem piloto, e Max Verstappen é um bom exemplo disso, entrar em um carro de F1 e imediatamente ele está no ritmo. Nós os vemos fazendo um teste e dentro de 10 voltas eles estão a dois décimos do piloto principal. Isso não acontecia no meu tempo, portanto, estes carros devem ser mais fáceis de pilotar. Só precisamos dar um passo atrás, dar uma boa olhada em nós mesmos antes que seja tarde demais”, concluiu.

Fonte: Sandro Varela / Amigos da Velocidade

Comments are closed.