F8 Spider e 812 GTS: os novos conversíveis da Ferrari
15 de setembro de 2019 – 11:01 | Comentários desativados em F8 Spider e 812 GTS: os novos conversíveis da Ferrari

Ferrari F8 Spider e 812 GTS tem 720 cv e 800 cv, respectivamente, e são os novos conversíveis da marca italiana.
O evento Universo Ferrari, em Maranello, na Itália, será a casa para a estreia de …

Ler post completo »
Curiosidades

F1

Mercado

Motos

Novidades

Home » Indústria

VW SAVEIRO CROSS X FIAT STRADA ADVENTURE: A BRIGA PELA COROA

Submitted by on 6 de julho de 2016 – 9:21No Comment

qr-681-saveiro-x-strada-01-tif
Os caçulas são difíceis de lidar. Normalmente mimados pelos pais e maltratados pelos irmãos mais velhos, eles fazem de tudo para chamar atenção. Com a Saveiro é assim. Nascida depois de Gol, Voyage e Parati, ela sempre quis ser diferente, mas a rígida educação alemã nunca permitiu isso. Pelo menos até agora, quando a Volkswagen resolveu que era hora de a picape ser independente. Eis o resultado: pela primeira vez em mais de três décadas, a Saveiro ganhou identidade própria.
As mudanças na linha 2017 foram mais profundas (e perceptíveis) do que as feitas em Gol e Voyage. Na frente, grade e faróis ficaram maiores, o capô foi redesenhado e o para-choque ganhou traços inspirados no novo Tiguan. Atrás, as alterações foram mais discretas, limitando-se a lanternas parecidas com as da Amarok e maçaneta da caçamba embutida no logotipo. Dos SUVs conceituais, como o T-ROC, veio a cor Azul Ravenna, exclusiva da Cross. Na média, a Saveiro também ficou 32 mm mais alta, por conta da suspensão elevada e pneus maiores. Assim, todas as versões estão mais parecidas com a Cross.
A carroceria renovada combina com o interior repaginado do Gol, marcado pelos traços horizontais e melhor acabamento (painel mais macio, menos rebarbas nos plásticos). Como o hatch, a Saveiro investe na conectividade, oferecendo quatro tipos de centrais multimídia, que permitem até espelhar a tela do celular e acessar aplicativos.
Tantas modificações têm um propósito bem definido. Além da necessidade de reduzir a vantagem da líder Fiat Strada, a VW tinha outra preocupação. “Sabendo que outras marcas lançariam produtos novos (Renault Oroch e Fiat Toro), decidimos criar uma picape com personalidade mais forte em vez de mais um produto derivado do Gol”, admitiu Guilherme Knop, supervisor de design da VW.
Além da cara nova, a linha 2017 traz a inédita versão básica Robust, disponível apenas com cabine simples (R$ 43.530). As versões Trendline (a única disponível com os três tipos de cabine) e Highline continuam em linha, mas ainda não foi desta vez que o veterano motor EA-111 1.6 de 104/101 cv foi trocado pelo moderno EA-211 1.6 16V (que equipa apenas a Cross) de 120/110 cv.
Quase todas as versões tiveram aumento de preço médio de cerca de R$ 1.000, com exceção da Cross, que ficou R$ 1.140 mais barata. Agora a Saveiro aventureira com cabine dupla sai por R$ 69.250, não por acaso quase o mesmo valor da Strada Adventure cabine dupla, que parte de R$ 69.940. Nas versões com cabine extendida, mais baratas, a Fiat continua mais barata: R$ 63.390, contra R$ 66.110 da VW.
Mas será que esse pacote de novidades é suficiente para a Saveiro conseguir superar sua rival? Para começar, 11 anos separam as atuais gerações de Strada e Saveiro. Enquanto a picape da Fiat estreou em 1998 (passando por cinco reestilizações), a Saveiro está entre nós desde 2009, com duas mudanças de lá para cá.
Para esconder o peso da idade, a Fiat apostou em encher a Strada de soluções inéditas na categoria, como o bloqueio eletrônico do diferencial Locker, o câmbio automatizado Dualogic e principalmente a cabine dupla, que ganhou a terceira porta em 2013. Pode não ser bonita, mas a porta extra é um item de enorme conveniên­cia, ao facilitar o acesso ao banco de trás. De todas as inovações, porém, o bloqueio do diferencial (que na Saveiro dispensa acionamento por botão) e a cabine dupla já foram adotadas pela VW, sendo que a marca decidiu manter a carroceria com duas portas, abandonada pela Fiat há quase três anos. Pelo menos uma semelhança elas têm: o diminuto espaço na parte traseira da cabine, suficiente apenas para dois adultos viajarem com relativo conforto.
Se na praticidade a Strada leva a melhor, a Saveiro dá o troco na ergonomia. É mais fácil se sentir à vontade na picape da VW, que oferece todos os comandos à mão e a posição de dirigir de automóvel. O estilo de guiar da Strada, mais elevado, lembra um SUV, o que pode agradar a quem gosta desse tipo de veículo. Mas o motorista, dependendo da estatura, fica com os joelhos altos demais e a cabeça próxima do teto. A Saveiro também ganha pontos nos detalhes, como o acabamento mais cuidadoso e a tampa da caçamba com amortecedores embutidos, que a deixa mais leve e permite um fechamento suave.
Com projeto mais atual, a Saveiro traz recursos de segurança inexistentes na Strada, como auxiliar de partida em rampa, ABS com função off-road (que permite um leve travamento das rodas para acumular terra e facilitar a frenagem) e controle de estabilidade. Também oferece de série uma central multimídia mais completa, com direito a espelhamento da tela do celular – na Strada, o item é mais simples e vendido à parte. Na pista de testes, a picape da VW teve uma leve desvantagem em desempenho, mas venceu em frenagem e consumo.
A Volks também leva a melhor no preço. Cheia de opcionais, a Strada Adventure sai por R$ 82.952, indo a R$ 87.135 com o câmbio Dualogic. A Cross completa custa menos: R$ 73.870, mas sem opção de caixa automatizada.
Não há dúvida de que, apesar da idade avançada, a Strada ainda tem fôlego no mercado (no acumulado de 2016, ela vendeu 8.577 unidades, contra 6.190 da rival). Mas é bom a líder não baixar a guarda, pois a nova Saveiro provou ser capaz de desbancá-la no comparativo das versões mais caras. O jogo pode mudar quando a VW estender o eficiente motor 1.6 16V ao restante da gama. Quando isso ocorrer, a Fiat terá sérios motivos para se preocupar.
AVALIAÇÃO DO EDITOR
Motor e C̢mbio РEmbora a Strada ṇo desagrade, o c̢mbio de engates precisos e o motor 1.6 EA-211 fazem a Saveiro se sobressair.
Dirigibilidade – Fácil de manobrar e mais estável nas curvas, a Saveiro lembra um automóvel. A direção da Strada é pesada para uma picape do seu porte.
Segurança – Apenas a Saveiro tem ESP e ABS com função off-road; além dos itens obrigatórios, a Strada só acrescenta o EBD.
Seu bolso РNenhuma delas ̩ uma pechincha, mas a Saveiro cobra menos e entrega mais seguran̤a e conforto que sua rival.
Conte̼do РAmbas ṣo equivalentes na lista de itens de s̩rie e nos opcionais, embora a Saveiro tenha mais recursos eletr̫nicos.
Vida a bordo РFalta espa̤o na cabine das duas picapes, mas apenas a Strada oferece a comodidade da terceira porta.
Qualidade – O plástico de qualidade regular domina o interior de ambas, mas a Saveiro tem encaixes mais precisos do que a Strada.

VEREDICTO QUATRO RODAS
Apesar de líder de mercado e da exclusiva terceira porta, a Strada já sente o peso da idade, especialmente frente a uma rival mais moderna e com motor mais econômico. Melhor em conforto, preço, conectividade e segurança, a Saveiro acabou levando a melhor.

Texto: Vitor Matsubara
Fonte: Quatro Rodas

Comments are closed.