Salão de Detroit 2019: as novidades que você precisa conhecer
18 de janeiro de 2019 Р12:48 | Comentários desativados em Salão de Detroit 2019: as novidades que você precisa conhecer

Evento re√ļne lan√ßamentos e conceitos que podem vir para o Brasil ou antecipam tend√™ncias do mercado automobil√≠stico.
Acontece, entre os dias 14 e 27 de janeiro, nos Estados Unidos, o Sal√£o de Detroit 2019. Entre conceitos …

Ler post completo »
Curiosidades

F1

Mercado

Motos

Novidades

Home » Motos

Substituta da Hornet, Honda CB 650F chega ao Brasil e parte de R$ 28.990

Submitted by on 17 de outubro de 2014 – 11:16No Comment

06

A Honda apresentou nesta quinta-feira (16), no Brasil, as novas CB 650F e CBR 650F, modelos que s√£o a porta de entrada para modelos com motores de 4 cilindros da empresa. As motos custam a partir de R$ 28.990, para a CB, e R$ 30.690, no caso da CBR, com vendas inicias em novembro. Comparando com as antecessoras, CB 600F Hornet (R$ 32.300) e CBR 600F (R$ 33.990), as novidades est√£o mais baratas.

Veja lista de preços
CB 650F: R$ 28.990
CB 650F com ABS: R$ 31.190
CB 650F com as cores Team HRC (azul, vermelha e branca) e ABS: R$ 31.690
CBR 650F: R$ 30.690
CBR 650F com ABS: R$ 32.890

Apesar de serem as substitutas naturais da CB 600F Hornet e CBR 600F, que saem de linha, a fabricante procurou deixar claro que os modelos n√£o s√£o novas gera√ß√Ķes das antecessoras e sim novas motos, com propostas diferentes.

‚ÄúA Hornet tinha um conjunto mais esportivo, e tamb√©m mais caro, assim tivemos que mudar o conceito para a nova linha, mais acess√≠vel. Esta n√£o √© a nova Hornet‚ÄĚ, explica Marcos Paulo Monteiro, gerente de planejamento de produto.

A empresa √© cuidadosa em tentar explicar a mudan√ßa de foco nos novos modelos pelas diferen√ßas entre as antigas motos e as substitutas. Assim, como nas antecessoras, a base de CB e CBR √© basicamente a mesmas, compartilhando motor, c√Ęmbio e chassi.

O que muda de uma moto para a outra est√° em pontuais e importantes detalhes. Enquanto a CB 650F segue o estilo naked, deixando o motor √† mostra, a CBR 650F segue tend√™ncias esportivas com carenagens e semi-guid√Ķes mais baixos, para o piloto ficar em posi√ß√£o mais agressiva.

Adeus, Hornet?
O grande desafio da Honda √© explicar aos brasileiros, f√£s da Hornet, que a moto n√£o estar√° mais na linha da marca. ‚ÄúQuem sabe a Hornet volta mais para a frente, mais diferenciada‚ÄĚ, diz Marcos Monteiro. Nas entrelinhas, a marca j√° n√£o esconde que trabalha em um modelo, digamos, mais top e de maior cilindrada que deve retomar o nome Hornet no futuro.

‚ÄúO nome Hornet j√° n√£o combinava com a nova CB 650F‚ÄĚ, completa Monteiro. Durante o Sal√£o de Mil√£o 2013, quando as novas CB 650F e CBR 650R foram lan√ßadas, tamb√©m j√° se falava nos bastidores sobre o poss√≠vel retorno da nomenclatura de sucesso.

No entanto, apesar de vender muito bem no Brasil, pa√≠s que liderou a comercializa√ß√£o de Hornet nos √ļltimos anos, na Europa a moto enfrentava a concorr√™ncia de modelos em duas pontas. Uma de concep√ß√Ķes t√©cnicas mais simples e valor mais barato, como a Yamaha XJ6, e do lado de cima, como a antiga Kawasaki Z750 e sua evolu√ß√£o, a Z800, que oferecem motores maiores.

‚ÄúO projeto da Hornet tamb√©m j√° n√£o atenderia as novas leis de emiss√Ķes da Europa e do Brasil‚ÄĚ, explica Alfredo Guedes Jr., engenheiro e supervisor de rela√ß√Ķes p√ļblicas da Honda. ‚ÄúN√£o h√° nenhuma pe√ßa em comum com as antigas motos‚ÄĚ, complementa Guedes.

Mais barata e menos potente
Com valores de R$ 3 mil a menos para as vers√Ķes de entrada e R$ 4 mil para as com ABS, o pre√ßo da linha ficou bem mais competitivo, quando comparado √†s antecessoras. O acr√©scimo na cilindrada tamb√©m deve saltar aos olhos, j√° que a motoriza√ß√£o de 4 cilindros passou de 599,3 cc para 649 cc.

No entanto, a verdade é que os modelos se tornaram mais simples. Na dianteira, perdeu as bengalas de suspensão do tipo invertida, mais complexas e com mais esportividade, utilizando no lugar amortecedores simples; o chassi, totalmente novo, deixou de utilizar alumínio (material mais leve) e é feito de aço; a potência final também diminuiu.

‚ÄúNosso objetivo foi priorizar o torque, com melhor uso em baixos e m√©dio giros. No Hornet, a pot√™ncia m√°xima chegava somente aos 12.000 rpm, enquanto nas motos novas 80% da for√ßa j√° esta presente em 8.000 rpm”, afirma Guedes.

Os n√ļmeros indicam que CB 600F Hornet e CBR 600F chegam a 102 cavalos a 12.000 rpm e o torque m√°ximo de 6,53 kgfm a 10.500 rpm. Enquanto isso, a nova linha alcan√ßa 87 cavalos a 11.000 rpm e 6,4 kgfm a 8.000 rpm. Traduzindo os n√ļmeros, a Honda focou muito mais em conforto e menor consumo, deixando a esportividade de lado. O c√Ęmbio continua de 6 marchas.

De acordo com a marca, estas novas caracter√≠sticas ir√£o facilitar o deslocamento em tr√°fego intenso e baixas velocidades, al√©m de velocidade de cruzeiro em estradas. Como s√£o 100% novas, as motos tamb√©m possuem massa e dimens√Ķes diversas das antigas.

Na CB 650F, o peso seco é de 192 kg (standard) e 194 kg (ABS). Para a CBR 650F, são 195 kg (standard) e 197 kg (ABS). O que resultou em 3 kg a mais em média, em relação aos antigos modelos.
Na dianteira, as motos possuem dois discos de freios, com 320 mm cada, e, na traseira, um disco de 240 mm.

Seguro mais barato
Nos √ļltimos tempos, um grande problema da Hornet era o fato de ser visada por criminosos. ‚ÄúApesar do extremo sucesso, a Hornet enfrentava problemas com roubos e seguro alto‚ÄĚ, explica Marcos Monteiro.
Além do fato de ser um modelo totalmente novo já indique seguro mais baixo, a Honda promete lançar um plano especial de seguros para os proprietários das moto, com preços mais acessíveis.

Produzidas em Manaus, as motos devem vender, juntas, cerca de 6 mil unidades em 1 ano, afirma a fabricante, com mix de vendas de 80% da CB 650F. A CB 650F estar√° dispon√≠vel nas cores preta (STD e ABS) e tricolor ‚Äď branca, azul e vermelha – (ABS), inspirada no Team HRC.
Já a CBR 650F será oferecida na cor vermelha (STD e ABS) e branca (ABS). Os modelos têm garantia de um ano, sem limite de quilometragem.

Fonte: Rafael Miotto / G1, em Jaguari√ļna (SP)
Foto: Victor Moriyama / G1

Comments are closed.