Confira as novidades apresentadas no Salão Duas Rodas
20 de novembro de 2017 – 13:49 | Comentários desativados

As principais empresas do setor de motos do Brasil apresentaram suas novidades para 2018 no Salão Duas Rodas, em São Paulo. Mesmo em um mercado que ainda sente os efeitos da crise econômica, foi possível …

Ler post completo »
Curiosidades

F1

Mercado

Motos

Novidades

Home » Dicas

Serviço: dicas básicas de segurança para viagens de moto

Submitted by on 18 de dezembro de 2013 – 10:27No Comment

12

Fim de ano chegando e com ele as tão esperadas férias. É hora de pegar a estrada e aproveitar os dias de descanso longe da rotina. Pensando em curtir esse período sobre duas rodas? Pois então confira um guia básico de segurança preparado pela Honda por meio do CETH (Centro Educacional de Trânsito Honda).

O que deve ser verificado?

A primeira coisa é ter sempre a mão o manual do proprietário de sua moto, que traz todas as informações sobre os componentes da motocicleta e as revisões necessárias antes de seguir viagem. Além disso, algumas concessionárias oferecem uma inspeção para identificar eventuais problemas, como folgas no manete da embreagem, regulagem de corrente de transmissão e desgaste dos freios e pneus.

Pneus – A calibragem deve estar de acordo com as especificações do manual do proprietário. Em alguns modelos, a pressão dos pneus deve ser maior caso a viagem seja realizada com garupa, compensando o peso extra sem perda de aderência. Também é importante verificar se há objetos presos nas rodas, como pregos e cacos de vidros, ou se as mesmas estão com algum raio quebrado.

Lubrificação – Caso o nível do óleo esteja abaixo do indicado, é necessário preencher ou efetuar a troca, bem como substituir os filtros de óleo e de ar periodicamente. No sistema de transmissão, deve ser feita a limpeza e lubrificação de corrente, coroa e pinhão. Aconselha-se realizar este procedimento também quando a motocicleta for usada em estradas de terra.

Freios – Cabos devem estar regulados e lubrificados. No caso dos hidráulicos, deve-se checar o nível do fluído. Se estiver abaixo do ideal, pode ser sinal de desgaste excessivo das pastilhas ou de vazamento, fazendo-se necessária a inspeção imediata.

Elétrica – Verificar se todas as luzes estão funcionando perfeitamente (freios, piscas, lanterna, farol e painel) para garantir a visibilidade e segurança do motociclista e do restante do trânsito. O mau funcionamento da parte elétrica é considerado infração média, segundo o Código de Trânsito Brasileiro, e pode ocasionar multas.

Motociclista consciente

Não é só a motocicleta que precisa estar preparada para enfrentar as estradas. O motociclista precisa ter conhecimento sobre os equipamentos, acessórios e técnicas de pilotagem necessárias para uma viagem segura. Confira algumas dicas do gerente do CETH, José Terwak.

Acessórios – É importante verificar se o capacete está dentro do prazo de validade e, ao utilizá-lo, se certificar de que o mesmo está bem adaptado: sem folgas ou sobras, e com a viseira limpa e sem riscos. Recomenda-se também o uso de roupas claras, para fácil identificação pelos outros condutores. Calças e jaquetas de material resistente são indispensáveis, assim como botas e sapatos que protejam os pés, luvas e capas de chuva.

Pilotagem – Principalmente nas estradas, onde as velocidades são mais altas, é fundamental que o motociclista se mantenha dentro do ângulo de visão dos outros motoristas, evitando os pontos em que eles não conseguem enxergar a motocicleta (ponto cego), mesmo com o retrovisor.

“Na estrada é importante alertar, antecipadamente, os demais condutores sobre a intenção de manobra. Dessa forma, eles podem prever uma possível reação e evitar acidentes. Durante a pilotagem, manobras como ultrapassagens devem ser realizadas com rapidez e firmeza, sem desrespeitar os limites de velocidade. Acredite na sinalização da rodovia. Ela pode te ajudar e garantir a sua segurança. Também é importante nunca exceder as próprias habilidades, mantendo uma velocidade compatível com o percurso e condições do trânsito. E lembre-se: se ingerir bebida alcoólica, não pilote”, explica Terwak.

Por fim, recomenda-se uma parada a cada 90 minutos para movimentar os músculos, com o objetivo de diminuir a fadiga e o cansaço gerado pelo vento. E nada de comidas pesadas durante as paradas. Desejamos a todos uma boa viagem!

Fonte: Julio Cesar / Carplace
Foto: Rafael Munhoz

Comments are closed.