Conheça o BMW concept 4, o protótipo que antecipa o série 4 – só ele quer ter grade de radiador
13 de setembro de 2019 – 14:45 | Comentários desativados em Conheça o BMW concept 4, o protótipo que antecipa o série 4 – só ele quer ter grade de radiador

Estande da BMW no Salão de Frankfurt dá spoilers sobre as novas gerações do Série 4, além de novidades para o nicho dos SUV-cupê e um novo carro elétrico.
Uma das atrações da BMW  no Salão …

Ler post completo »
Curiosidades

F1

Mercado

Motos

Novidades

Home » Dicas

Sentar no banco traseiro do carro é mais perigoso no caso de acidentes

Submitted by on 29 de abril de 2019 – 14:43No Comment

Em 117 acidentes de carro analisados, mais de 50% dos passageiros do banco de trás saíram mais feridos do que os do banco da frente.

Um novo estudo do Instituto de Seguros para Segurança de Rodovias dos Estados Unidos mostrou que os passageiros dos bancos traseiros dos carros têm maiores riscos de morrerem ou de sofrerem ferimentos do que aqueles que se sentam nos bancos da frente.

Isso ocorre pois fabricantes de veículos tem se preocupado em aumentar a tecnologia de segurança nos bancos dianteiros, criando airbags, por exemplo. O estudo indicou, entretanto, que os cintos de segurança dos assentos traseiros são menos eficientes e têm menor chance de possuírem “limitantes de força”, que reduzem riscos de lesões nas partes superiores do corpo.

Utilizando imagens de perícias, autópsias e laudos médicos, os pesquisadores investigaram 117 acidentes de carro, nos quais os passageiros do banco traseiro foram mortos ou feridos: mais da metade dos ocupantes dos assentos de trás ficaram mais machucados do que as pessoas que estavam nos bancos da frente.

Entre as lesões mais sofridas pelas pessoas que sentaram nos bancos de trás estavam danos no peito e na cabeça. A maior parte das lesões na região da cabeça foram fatais.

Algumas montadoras já desenvolvem tecnologias para a segurança de todos os ocupantes do carro. A Ford e a Mercedes-Benz, por exemplo, fabricam um cinto de segurança que infla no caso de um eventual choque para melhor distribuir a força no peito e no tronco.

“Estamos confiantes que os fabricantes de veículos podem encontrar um modo de resolver esse quebra-cabeça no banco traseiro assim como eles conseguiram fazer com os da frente”, afirmou David Harkey, presidente do Instituto de Seguros para Segurança de Rodovias, em comunicado.

Texto: Redação

Fonte: Revista Galileu

Portal Rodão

Comments are closed.