Toyota Yaris sedã começa a chegar às concessionárias
12 de julho de 2018 – 8:51 | Comentários desativados

 Configuração sedã do Yaris começou a ser fabricada na semana passada e já chegou a concessionárias da marca no país
O Toyota Yaris sedã já começou a chegar às concessionárias da marca, de acordo com informações …

Ler post completo »
Curiosidades

F1

Mercado

Motos

Novidades

Home » Mercado

RAM 1500 DIESEL CHEGA EM 2017 ABAIXO DE R$ 200.000

Submitted by on 25 de outubro de 2016 – 8:48No Comment

rm014_054fn

A picape com motor V6 e 243 cv chega para esquentar o segmento das versões top de linha

O Grupo FCA, por meio da Ram, está de olho no segmento das picapes top de linha por aqui. Para entrar na briga com Ranger, Amarok, S10 e principalmente Hilux, a Ram 1500 começa a arrumar as malas para vir aoBrasil fazer companhia à Ram 2500, mais cara.

Como tínhamos a missão de ir até a sede da FCA, nos Estados Unidos, para conhecer a Pacifica (veja na pág. 76), aproveitamos para tomar contato também com a picape que deve desembarcar por aqui até o segundo semestre de 2017. Lá, avaliamos a 1500 com o novo motor V6 a diesel, o mais cotado para equipar a nossa Ram. O motor, aliás, tem gerado polêmica na FCA. “A matriz insiste no envio do movido a gasolina, similar ao da minivan Pacifica. Mas nada está definido”, afirma uma fonte ligada à filial brasileira. Então, vamos às impressões…

É bom deixar claro que, apesar das duas Ram utilizarem carrocerias semelhantes, há diferenças significativas entre a 2500 e a 1500. Para começo de conversa, o motor seis cilindros 6.7 turbodiesel Cummins com 330 cv e colossais 104 mkgf de torque da 2500 é substituído pelo V6 3.0 fornecido pela VM Motori, empresa italiana que pertence ao Grupo FCA desde 2011. Ele é bastante semelhante ao motor turbodiesel que equipa o Grand Cherokee no Brasil, com 243 cv e 58 mkgf de torque máximo.

Com 5,81 m de comprimento ante 6,03 m, a Ram 1500 é 22 cm menor. Ela usa suspensão independente duplo A no eixo dianteiro e five-link com eixo de torção no traseiro, enquanto a 2500 tem eixo rígido na frente e atrás. As suspensões, aliás, são a principal explicação para a enorme diferença de capacidade de carga: 1.050 kg na 2500 e 603 kg na 1500. No peso total, o degrau também é elevado: respectivamente, 3.410 kg e 2.549 kg. Para efeito de comparação, uma Toyota Hilux SRX, que custa R$ 189.970, tem 2.090 kg e 45,9 mkgf de torque, com uma relação peso/torque de 45,53 kg/mkgf. Na Ram 1500, a mesma relação indica 43,94 kg/mkgf. Mas a capacidade de carga da Hilux é maior, 1.000 kg. Isso traz outra vantagem à Ram: seu motorista pode usar uma habilitação comum e não a tipo C, exigida pela 2500.

Tudo isso justifica a proposta de fazer frente às picapes médias. O fato de ter DNA americano (ainda que seja fabricada em Toluca, no México) joga a seu favor no conforto. Se as picapes médias cobram o preço da robustez e da capacidade de carga com uma rodagem quase sempre saltitante, a Ram 1500 coloca o bem-estar dos ocupantes em primeiro lugar.

Motorista e passageiro dianteiro da 1500 sentam em bancos tão largos quanto poltronas e ainda sobra espaço para um console central com capacidade quase tão grande quanto o porta-malas de um Fiat Mobi – chega a exigir certa dose de contorcionismo do motorista para acessar o porta-luvas. Atrás, há espaço suficiente para três adultos se acomodarem sem esbarrões: da cabeça no teto, das pernas nos bancos dianteiros e até de ombros com o vizinho. Difusores de ar-condicionado e tomada 12V independente servem os convidados.

Barreira do som

Para o motorista, a percepção de conforto chega a ser exagerada. Não se escuta ou sente o motor trabalhando até que você pise mais no acelerador. Com oito marchas, o câmbio automático reduz rapidamente e eleva os giros do motor ao máximo. Ainda assim, o fôlego diminui conforme ganha velocidade.

O que parece é que esta picape foi feita para se dirigir em longas retas em velocidade constante, com os diversos porta-copos devidamente ocupados, bem ao estilo americano. A direção é leve e de respostas lentas, combinando com a suspensão, que filtra bem qualquer irregularidade do asfalto, mas anestesia as reações da carroceria. A única coisa rápida é a resposta do controle de estabilidade: basta entrar em uma curva mais veloz para que o ESP entre em ação antes mesmo dos pneus se dobrarem.

Em termos de catálogo, a Ram 1500 Laramie é a versão mais cotada para virao Brasil. “Ela é a que pode permitir uma configuração cujo preço fique abaixo dos R$ 200.000″, diz a nossa fonte brasileira. Mesmo se tratando de uma versão intermediária, o conteúdo da Laramie não foge muito ao que se vê na 2500 Limited (top de linha nos EUA). Tem central Uconnect com tela de 8,4 polegadas com GPS e dez alto-falantes e um subwoofer, câmera e sensores de ré, chave presencial e bancos de couro premium, com ajustes elétricos, ventilados e aquecidos – como o volante.

Pelo preço e por todo o conforto, a 1500 poderia deixar o comprador de picapes de luxo em dúvida. Mas só aqueles cuja garagem comporte uma locomotiva de 5,82 m de comprimento por 2,01 m de largura.

Veredicto

Caso o plano da Ram se concretize e a 1500 chegue com motor diesel e preço competitivo, a concorrência poderá ver nela, uma ameaça real. Descomunal, o status é seu forte. Pesa contra o porte da rede, com só 50 concessionárias.

TEXTO: Péricles Malheiros
FONTE: Quatro Rodas

Comments are closed.