Cotada para o Brasil, Opel prepara 8 novidades até 2020
16 de outubro de 2018 – 11:19 | Comentários desativados

Alemã prepara os sucessores do Corsa e do Mokka X e também na eletrificação da gama
Empresa que atua de uma forma muito transparente na hora de comunicar suas estratégias, algo raramente visto no setor, a …

Ler post completo »
Curiosidades

F1

Mercado

Motos

Novidades

Home » Campeonatos

Prost será dono de equipe na Fórmula E, afirma revista americana

Submitted by on 24 de outubro de 2013 – 12:11No Comment

18

O tetracampeão de F1 Alain Prost está próximo de retornar às pistas. Segundo a revista americana “Autoweek”, o francês vai administrar uma equipe com seu nome na recém-criada Fórmula E, campeonato criado pela FIA (Federação Internacional de Automobilismo) para monopostos elétricos.

O anúncio oficial deve ser consolidado nesta quinta-feira, com a participação do chefe executivo da Fórmula E, Alejandro Agag, e do presidente da FIA, Jean Todt, além do próprio Prost. O encontro vai ocorrer em Paris, na sede da Renault, empresa na qual o ex-piloto atua como embaixador desde 2012.

Na transição da década de 90 para 2000, Prost gerenciou um time de F1. Quatro anos após se aposentar como piloto, em 1997, ele comprou a antiga Ligier e a renomeou com a marca Prost Grand Prix. O melhor resultado do time, em cinco anos de história, foi um segundo lugar no GP da Europa de 1999, com o até então jovem italiano Jarno Trulli.

A saída dos cigarros Gauloises em 2000 enfraqueceu as finanças e a escuderia fechou as portas no ano seguinte. Prost ainda tentou firmar a venda do time a Khaled bin Alwaleed, bilionário saudita com alta porção de investimentos em empresas como Apple, Citigroup e Disney, mas o acordo não vingou.

Dez equipes vão disputar a primeira temporada da Fórmula E em 2014, mas somente quatro foram anunciadas até então. Paul Drayson, atual detentor do recorde de velocidade com carros elétricos, vai administrar um time do Reino Unido. Outra equipe será administrada pelo dirigente chinês Yu Liu e mais duas vindas da Indy vão alinhar no grid: a Andretti e a Dragon, a última chefiada por Jay Penske.

Segundo a “Autoweek”, o custo anual do investimento para correr na categoria será de US$ 3,3 milhões (cerca de R$ 7 mi) – para se ter uma ideia, o valor corresponde a cerca de 1,5% do montante investido pelas equipes de F1 numa única temporada.

O carro do campeonato foi lançado no Salão do Automóvel de Frankfurt, em outubro passado, e terá motor construído pela McLaren. O patrocinador oficial vai ser a TAG Heuer, que fornecerá também o equipamento de cronometragem, e os pneus serão disponibilizados pela Michelin. A Williams será responsável pelo fornecimento de baterias.

Nenhuma equipe ainda divulgou os nomes que vão participar da primeira temporada do campeonato. A “Autoweek”, contudo, afirma que o grid será formado na maioria por ex-pilotos de F1, entre eles o brasileiro Bruno Senna, que atualmente defende a Aston Martin no WEC (Mundial de Endurance). Outro nome nos planos de Agag é Lucas di Grassi, hoje volante da Audi no WEC e piloto de testes da Fórmula E.

Fonte: Lucas Berredo / Tazio
Foto: Alexander Zemlianichenko Jr./AP

Comments are closed.