Conheça o BMW concept 4, o protótipo que antecipa o série 4 – só ele quer ter grade de radiador
13 de setembro de 2019 – 14:45 | Comentários desativados em Conheça o BMW concept 4, o protótipo que antecipa o série 4 – só ele quer ter grade de radiador

Estande da BMW no Salão de Frankfurt dá spoilers sobre as novas gerações do Série 4, além de novidades para o nicho dos SUV-cupê e um novo carro elétrico.
Uma das atrações da BMW  no Salão …

Ler post completo »
Curiosidades

F1

Mercado

Motos

Novidades

Home » Curiosidades

POR QUE OS CARROS JAPONESES POSSUÍAM RETROVISORES NO CAPÔ?

Submitted by on 1 de novembro de 2016 – 13:48No Comment

Localização era obrigatória por lei; táxis japoneses ainda usam tal disposição

honda-accord-3-doors-2946_11

Por que no Japão os carros possuíam retrovisores no capô? – Érick Kreischer, por e-mail.

Atualmente os automóveis com espelho sobre o capô ou para-lama deixaram de ser regra no mercado, mas no passado eles eram comuns por uma razão muito simples: eles eram obrigatórios no Japão.

Os espelhos parabólicos instalados nos extremos dos para-lamas dianteiros (chamados de “fender mirrors” em inglês) oferecem maior ângulo de visão do que os instalados próximo às janelas dianteiras. Por isso eles se tornavam ainda mais úteis nas estreitas ruas japonesas. Além disso, o sistema permitia que o motorista desviasse os olhos da estrada o mínimo possível numa eventual checagem ao retrovisor externo.

Essa vantagem nunca foi suficiente para sensibilizar os legisladores ocidentais, mas na Ásia acabou se tornando padrão até que a lei deixou de existir no Japão em 1983, motivada pela padronização para veículos japoneses feitos para exportação.

Muitos táxis do país, porém, ainda possuem retrovisores instalados nos para-lamas. E a razão é curiosa: além da melhor visibilidade em espaços pequenos, eles permitem que o motorista olhe para o retrovisor do lado oposto sem ter que virar a cabeça em direção ao passageiro, garantindo maior privacidade aos sempre tímidos e formais japoneses.

TEXTO: Redação
FONTE: Quatro Rodas

Comments are closed.