Conheça o BMW concept 4, o protótipo que antecipa o série 4 – só ele quer ter grade de radiador
13 de setembro de 2019 – 14:45 | Comentários desativados em Conheça o BMW concept 4, o protótipo que antecipa o série 4 – só ele quer ter grade de radiador

Estande da BMW no Salão de Frankfurt dá spoilers sobre as novas gerações do Série 4, além de novidades para o nicho dos SUV-cupê e um novo carro elétrico.
Uma das atrações da BMW  no Salão …

Ler post completo »
Curiosidades

F1

Mercado

Motos

Novidades

Home » F1

Pirelli mantém opções agressivas de pneus para as próximas etapas

Submitted by on 23 de abril de 2015 – 13:44No Comment

02

A Pirelli definiu os pneus que serão usados nos Grandes Prêmios da Espanha, Mônaco, Canadá e Áustria, as próximas quatro etapas da temporada 2015 da Fórmula 1 que abrem a fase europeia da competição. As escolhas são as mesmas de 2014, porém, como os carros estão mais rápidos este ano os pneus serão ainda mais exigidos desta vez.

Na Espanha, a Pirelli levará os pneus Laranja duros e médios: as duas versões mais duras da sua gama de pneus. O circuito de Montmeló é conhecido por ser bastante exigente enquanto a temperatura ambiente é, geralmente, alta.

Para os GPs de Mônaco e do Canadá, respectivamente um circuito de rua e um semipermanente, os dois compostos mais macios serão usados: o Amarelo macio e o Vermelho supermacio.

Mônaco possui o circuito mais lento do calendário, recheado de curvas e com o asfalto bem liso, com muita aderência mecânica. Isso faz com que esta pista seja o palco ideal para os pneus supermacios – que se aquecem mais rapidamente – fazerem a sua estreia neste ano, em combinação com os macios.

Já no Canadá, que também é um circuito com demanda de aderência mecânica, a prova normalmente é disputada em temperaturas mais amenas. Por causa disso, o macio e o supermacio são, novamente, as escolhas mais adequadas, já que, a cada volta, exige-se muito tanto de tração quanto de freios.

Finalmente no GP da Áustria, em Spielberg, os carros enfrentam diversas curvas muito fechadas, o que resulta em velocidades finais relativamente baixas. Junte-se a isso as condições climáticas sempre imprevisíveis e temos, novamente, o macio e o supermacio como as opções ideais para esta prova.

Fonte: Rogério Elias / Amigos da Velocidade

Comments are closed.