SUV Jeep Compass 2018 Impressiona o Segmento
21 de junho de 2017 – 12:46 | Comentários desativados

O novo Jeep Compass 2018 é um veículo bastante diferente dos seus outros segmentos, e por isso, promete chamar a atenção com sua tecnologia de ponta e com as novidades trazidas neste novo modelo. É …

Ler post completo »
Curiosidades

F1

Mercado

Motos

Novidades

Home » Mercado

Longa Duração: testando o sistema de estacionamento do Cruze

Submitted by on 30 de novembro de 2016 – 7:55No Comment

mcam1717

 

Testamos o sistema de estacionamento automático do Cruze. Quem quiser ver como ele funciona, levante as mãos

Algumas pessoas, mesmo entre as que gostam de dirigir, odeiam estacionar – ou fazer baliza, como se diz em São Paulo. Se você se identificou, olha só o que o nosso Cruze tem: um sistema que procura uma vaga que o comporte, calcula a manobra para encaixar o carro e ainda esterça o volante para um lado e para o outro.

Você só precisa acelerar e frear: e até o momento para fazer isso é o carro que calcula, basta seguir as instruções exibidas na tela. Vamos aos principais passos.

Ativação

Um botão à frente da alavanca de câmbio liga o sistema – uma mensagem de confirmação é exibida. O passo seguinte é determinar o tipo de vaga pretendida, paralela (como na maioria das ruas) ou perpendicular (como as de estacionamento de shopping).

Por padrão, o sistema é ativado para rastrear vagas à direita, mas se a intenção for parar à esquerda, basta acionar a alavanca de seta e o lado da varredura se inverte. Ativado o sistema, é preciso rodar a uma velocidade máxima de 30 km/h.

Manobra

Ao detectar uma vaga adequada, uma mensagem para parar o carro é exibida. A varredura fica memorizada, o que permite ao motorista fazer a parada efetiva até 10 metros após o surgimento do aviso durante a busca por vagas paralelas e 6 metros no caso das perpendiculares.

Carro parado, novo aviso: engatar a ré. É agora que começa o show. Sozinho, o volante começa a se mover. A velocidade do giro e o ângulo de esterço aplicado às rodas dependem não apenas da geometria do cenário, mas também de como o motorista opera o freio e o acelerador.

Até que o Cruze esteja estacionado, avisos para ir para a frente ou para trás surgem no painel de acordo com a demanda da manobra. Em todos os ensaios do nosso teste, o sedã parou perfeitamente. Assim como na fase de busca de vagas, há limite de velocidade durante a manobra: 8 km/h.

Cuidados

Apesar do conforto proporcionado, o motorista deve estar ciente da sua obrigação de estar no comando da manobra o tempo todo, atento à movimentação dos outros carros ao redor e a eventuais pedestres.

O giro autônomo do volante também exige cuidado. Caso o motorista esteja com as mãos nele, uma rotação rápida pode ferir os dedos e o punho. A recomendação é tirar completamente as mãos do volante até a conclusão do estacionamento.

Marcação

Além de mostrar sua habilidade na baliza, o Cruze foi submetido este mês à marcação de peças, recurso que usamos para blindar os carros de Longa contra manutenção não autorizada ao longo do teste.

Chevrolet Cruze LTZ 1.4 Turbo – 369 km

Consumo no mês: 8,4 km/l com 100% de rodagem na cidade

Combustível: etanol

Gastos no mês: R$ 198 (combustível)

TEXTO: Péricles Malheiros
FONTE: Quatro Rodas

Comments are closed.