Yamaha lança moto de 3 rodas, a Niken, e mostra protótipo de Ténére 700
13 de novembro de 2017 – 10:07 | Comentários desativados

Yamaha lançou na segunda-feira (6), na Itália, sua primeira moto de alta cilindrada de 3 rodas. O modelo Niken já havia aparecido no Salão de Tóquio, mas somente agora a empresa revelou todos os detalhes …

Ler post completo »
Curiosidades

F1

Mercado

Motos

Novidades

Home » Mercado

Lifan: Das motos aos carros, chinesa quer crescer no Brasil

Submitted by on 25 de maio de 2015 – 15:00No Comment

04

Chongqing é um importante centro de produção de motos na China e em 1992, viu surgir mais um fabricante local, a Lifan. No entanto, dois detalhes interessantes chamam atenção na origem da empresa.

O primeiro é que a Lifan nasceu como uma empresa privada, sem controle do estado, diferentemente de outras muitas companhias ligadas direta ou indiretamente ao governo central ou às administrações municipais ou provinciais.

Outro fato interessante é que seu fundador, Yin Mingshan, é um ex-dissidente político com um histórico de conflitos com o Partido Comunista. O executivo de Chongqing tinha tendências capitalistas que foram duramente punidas pelo governo, ficando sete anos em um campo de trabalhos forçados.

Algum tempo depois da libertação e trabalhando em uma editora, Mingshan decide investir apenas 200.000 yuans (R$ 99.880 atualmente) na abertura de uma oficina de motos. Com o passar do tempo, a oficina virou fábrica de motocicletas e em 1997 foi renomeada Lifan Industry Group.

Tendo o negócio de motos como foco principal, a Lifan só veio a entrar no segmento automotivo em 2003. No ano seguinte, adquiriu duas empresas, sendo uma delas fabricante de veículos utilitários. Nesse mesmo ano tornou o maior fabricante privado de motocicletas da China.

Mas, nesse período a Honda processa a empresa por causa do nome “Hongda”, que estava sendo usado pela montadora de Chongqing. O mesmo valia para o logotipo muito semelhante ao da japonesa. Em um fato raro na realidade do país, a Lifan acabou sendo condenada e deixou de usa-las.

Em 2005, a Lifan lança seu primeiro carro, o LF520. O compacto utilizava o motor brasileiro Tritec. Algum tempo depois, lança o LF620, um sedã similar ao Corolla da nona geração. A empresa lança suas ações na Bolsa de Xangai em 2010. No ano seguinte, a marca lança os modelos 320 e X60.

No ano de 2012, a Lifan inicia a produção de veículos na Etiópia, que até então fazia um modelo antiquado de origem Fiat. Nos anos seguintes, a marca chinesa lançou uma série de modelos, atuando nos segmentos de utilitários leves, minivans, sedãs, crossovers, entre outros. No cenário automotivo chinês, ainda é um fabricante pequeno, apesar de também fabricar caminhões e ônibus. Nas motos, é o quinto fabricante do país e representante oficial da MV Agusta.

Brasil

Em 2006, a Lifan fecha uma parceria com a marca brasileira Kasinski para fornecer modelos e motores. Dois anos depois, a marca aparece pela primeira vez no Salão do Automóvel com os modelos 520 e 620, mas já ligada ao grupo uruguaio Effa Motors.

O 520 não veio, mas o 620, sim. E com ele, o compacto 320, que chamou atenção por ser inspirado no MINI Cooper. No entanto, o casamento com a Effa acabou em 2013, quando a Lifan assumiu oficialmente a operação no Brasil, lançando posteriormente o SUV X60.

O utilitário esportivo passou a ser montado no Uruguai, assim como foram os 320 e 620 antes. Hoje ela dispõe do caminhão leve Foison e do sedã compacto 530 no país. Em breve chega o crossover X50 e a ideia é construir uma fábrica no país mais adiante.

Fonte : Noticias Automotivas

Comments are closed.