Conheça o BMW concept 4, o protótipo que antecipa o série 4 – só ele quer ter grade de radiador
13 de setembro de 2019 – 14:45 | Comentários desativados em Conheça o BMW concept 4, o protótipo que antecipa o série 4 – só ele quer ter grade de radiador

Estande da BMW no Salão de Frankfurt dá spoilers sobre as novas gerações do Série 4, além de novidades para o nicho dos SUV-cupê e um novo carro elétrico.
Uma das atrações da BMW  no Salão …

Ler post completo »
Curiosidades

F1

Mercado

Motos

Novidades

Home » Campeonatos

Kubica diz que ainda sonha, mas admite: “Retorno à F1 é quase impossível”

Submitted by on 12 de novembro de 2013 – 9:51No Comment

04

Como não poderia deixar de acontecer, o sucesso de Robert Kubica no rali em 2013 chamou a atenção de muita gente. O polonês conquistou o título do WRC2, uma espécie de segunda divisão do Mundial, e animou fãs e até mesmo alguns dirigentes tanto da modalidade off-road quanto na F1.

Só que as limitações que ele ainda possui na mão direita o deixam cético em relação a um retorno à categoria de monopostos. Mesmo sem descartar uma volta no futuro, ele admite que está muito longe da condição mínima para poder responder às exigências que sofreria em carro de F1.

“Eu conseguiria pilotar um F1 em um ou dois circuitos para testes. Mas não faz sentido testar por um dia se eu não posso correr”, declarou ao canal de televisão inglês “BBC”.

“Claramente eu tenho limitações. Acho que a única pessoa que pode julgar o que eu posso fazer atrás de um volante sou eu. É um sonho, um objetivo, mas, por agora, é muito difícil. Diria que é quase impossível. Eu nunca aproveitaria uma oportunidade se não me sentir 100% pronto. Se um dia as coisas melhorarem, com certeza vamos ver. Mas neste momento estou concentrado no rali”, continuou.

Ele ainda explicou que, por enquanto, consegue se adaptar melhor ao estilo de pilotagem do rali, já que nos monopostos, ele teria que utilizar mais força nos braços, o que ele ainda não possui.

“Meu foco é na minha recuperação e o rali está me ajudando muito. Eu posso ver a melhora atrás do volante de um carro de rali. Pilotar no cascalho é muito difícil. Tem muito movimento no volante, o que coloca muito estresse no meu braço e na minha mão. Mas sei que isso não ajuda na minha maior limitação, que é pilotar um monoposto. Eu não tenho força para controlar um fórmula, mas vou tentar o meu melhor.”

Paralelamente ao rali, ele também está treinando no simulador da equipe de F1 da Mercedes, o que, segundo o próprio piloto, vem o ajudando na reabilitação do braço. Ele também testou um carro de DTM do time alemão. Com tudo isso, e ainda negociações para correr na classe principal do WRC pela Cintroen, que também abriu a possibilidade de uma participação no WTCC, ele deixa seu futuro em aberto para a próxima temporada, reforçando, apenas, que ainda não está pronto para voltar aos monopostos.

“Se eu continuar no rali no ano que vem, eu gostaria de fazer uma temporada completa. Mas fazer todos os ralis em um ano é um desafio e tanto. Uma opção é voltar às corridas de circuito. Com certeza não será em fórmulas, mas eu não resolvi o que vou fazer”, concluiu.

Fonte: Lucas Santochi / Tazio
Foto: AP Photo/Lehtikuva/Mikko Stig

Comments are closed.