Conheça a nova marca do Grupo Volkswagen
3 de fevereiro de 2019 – 9:07 | Comentários desativados em Conheça a nova marca do Grupo Volkswagen

Primeiro modelo 100% da Cupra deve estrear no Salão de Genebra
Nova marca do Grupo Volkswagen, a Cupra já lançou seu primeiro produto. Porém, trata-se de uma versão com apelo esportivo do SUV Seat Ateca, que …

Ler post completo »
Curiosidades

F1

Mercado

Motos

Novidades

Home » Indústria

Fornecedores de montadoras no Vale sofrem com crise no setor

Submitted by on 13 de agosto de 2014 – 10:31No Comment

04

Afetadas pela crise no setor automobilístico, as empresas que fornecem peças ou serviços para as montadoras no Vale do Paraíba sofrem com baixas na produção e instabilidade nos empregos. Com medidas como suspensão de contratos e férias coletivas, a expectativa de empresários ligados à área é de mais dificuldades para o setor no segundo semestre.

Além da crise na General Motors em São José dos Campos, que pretende implantar um sistema de layoff na unidade, as outras duas montadoras da região também anunciaram medidas de redução na produção. Após dois períodos de férias coletivas, a Ford anunciou a suspensão de contratos de 108 trabalhadores na unidade de Taubaté. Ainda na cidade, a Volkswagen prevê férias coletivas de 10 dias para os funcionários de produção.

A instabilidade na produção e incerteza sobre o futuro do setor faz com que os fornecedores e prestadores de serviços das montadoras prevejam um cenário ainda mais complexo para a sequência do ano, o que coloca em risco o emprego de muitos outros trabalhadores. Na Usimoren, que fabrica conectores de alumínio para indústria automobilística, o volume de produção caiu cerca de 15% desde o início do ano.

“As perspectivas são bastante sombrias. Tenho 40 funcionários mas está difícil segurar todos os postos. A dispensa é sempre um prejuízo para a empresa, mas infelizmente tem horas que é preciso dar uma diminuida”, disse o proprietário Angel Guillem.

Na Prolind, empresa que fabrica perfis de alumínio, os números atuais contrastam com o bom desempenho do fim do ano passado. “Estamos com redução média de 20% em relação ao último trimestre de 2013 da carteira de produção na área de perfis de alumínio”, disse Adalberto Morales, diretor-fundador da empresa.

Entre as ações adotadas ao longo do semestre, a empresa antecipou todas as férias para a área de peças. Dos 300 funcionários, 205 ficam na unidade de São José dos Campos e o restante em Londrina (PR). A saída encontrada pela empresa foi diversificar nas apostas de mercado.

“Somos uma empresa de tecnologia, então diversificamos para a construção de elevadores, na construção civil. Então, houve redução de um turno intermediário, mas não houve demissões. Porém, não houve efetivação de temporários”, disse.

Crise
O diretor do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp) de Taubaté, Fábio Duarte, acredita que caso o cenário seja de demissões, ele pode ser amenizado pela abertura da Chery em Jacareí. “Existe uma migração muito grande. Caso haja demissões, parte dessa mão de obra poderá ser aproveitada por novas empresas”, disse.

A entidade fez um levantamento que aponta que a indústria corresponde a 43% da atividade econômica de todos os setores da região do Vale do Paraíba. Deste total, a principal parte é a automobilística, com 34%.

De acordo a estimativa obtida pelo estudo, a indústria no país deve ter queda de 1% e na região deve permanecer estagnada. A expectativa é que nos próximos três anos o setor automotivo cresça devido às atividades da nova montadora de Jacareí. De acordo com o Ciesp Taubaté, até 2016 a indústria de autos deve apresentar aumento de 4% em relação aos 34% registrados atualmente.

Fonte: Fábio França / G1 Vale do Paraíba e Região
Foto: Reprodução/TV Vanguarda

Comments are closed.