FIA altera regras para aumentar rigidez contra queima de largada
23 de setembro de 2017 – 14:30 | Comentários desativados

A FIA alterou as regras contra queima de largada na Fórmula 1 em 2018, abrindo a possibilidade de punições mesmo se o sistema automático de detecção não for acionado.
O que é oficialmente conhecido como largada …

Ler post completo »
Curiosidades

F1

Mercado

Motos

Novidades

Home » Curiosidades

Ford Ranchero: o primeiro cupê utilitário

Submitted by on 1 de dezembro de 2016 – 12:50No Comment

qr-688-classicos-ranchero-01-tif

 

Criada para o trabalho, a Ford Ranchero caiu nas graças do público jovem e virou sinônimo de recreação e de desempenho

Poucos automóveis foram tão idolatrados quanto o Chevrolet 1955: o estilo retilíneo com três volumes bem definidos e um novo motor V8 ofuscaram a concorrência, especialmente a Ford. O contra-ataque de Dearborn demorou dois anos: maior, mais baixo e mais largo, o Ford 1957 inovou com o Ranchero, o primeiro cupê utilitário feito nos EUA.

Desenvolvida para o trabalho no campo, nada mais era do que a perua de duas portas Ranch Wagon, sem a porção traseira do teto e com uma enorme caçamba. Sua capacidade de carga era superior à de picapes de entrada, mas foi o estilo definido por Gordon Buehrig que acabou conquistando outra parcela do público.

O motor de entrada era um seis cilindros em linha de 3,9 litros, já com válvulas no cabeçote: era o preferido dos frotistas, por combinar suavidade, durabilidade e boa economia de combustível. Entusiastas da alta performance optavam pelo V8 de bloco Y, com cilindrada entre 4,6 e 5,1 litros ou pelo big block FE, com 5,8 litros.

Havia duas versões, Standard e Custom. Esta, mais cara, oferecia frisos cromados e revestimento de luxo nos bancos e laterais de porta. Havia dez combinações de pintura em dois tons, além de direção hidráulica, freios assistidos e câmbio automático Fordomatic.

O sucesso estrondoso pegou a concorrência de surpresa: a Chrysler não esboçou nenhuma reação, mas a GM rebateu com a Chevrolet El Camino em 1959, último ano da primeira geração do Ranchero. A segunda geração foi baseada no compacto Falcon – menor e mais leve, era impulsionada pelo motor de seis cilindros e apenas 2,4 litros.

O estilo melhorou na terceira geração, em 1966. A estratégia era fazer frente à El Camino. O V8 Windsor cresceu para 4,7 litros, dando início à linhagem de picapes de alto desempenho. A demanda por motores de alta cilindrada introduziu o Ranchero no seleto grupo dos muscle cars: o V8 de bloco grande FE chegava aos 6,4 litros e nada menos que 315 cv. Rápida e veloz, não demorou para que fosse oficializada com a versão GT.

TEXTO: Felipe Bitu
FONTE: Quatro Rodas

Comments are closed.