Cotada para o Brasil, Opel prepara 8 novidades até 2020
16 de outubro de 2018 – 11:19 | Comentários desativados

Alemã prepara os sucessores do Corsa e do Mokka X e também na eletrificação da gama
Empresa que atua de uma forma muito transparente na hora de comunicar suas estratégias, algo raramente visto no setor, a …

Ler post completo »
Curiosidades

F1

Mercado

Motos

Novidades

Home » Mercado

Empresas do setor se unem pela liberação do diesel em veículos leves

Submitted by on 3 de setembro de 2013 – 11:33No Comment

13

Um grupo de empresas do setor automotivo se uniu para promover campanhas em apoio à liberação do uso do diesel em carros de passeio no Brasil. Chamado de Aprove Diesel – Associação Pró-Veículos Diesel –, o grupo conta com marcas produtoras de sistemas de injeção de combustível, equipamentos de controle de emissões, turbo alimentadores e de insumos, como combustíveis e lubrificantes e foi apresentado durante o Fórum da SAE Brasil – Sociedade dos Engenheiros da Mobilidade –, em São Paulo. Segundo a organização, o objetivo da iniciativa é disseminar informações e fomentar discussões sobre o uso de automóveis com motores diesel, além de apresentar vantagens dos propulsores movidos pelo combustível.

Uma das justificativas do Aprove Diesel é que a tecnologia de motores para o combustível evoluiu muito mais que a de outras fontes de energia como a gasolina, por exemplo. O grupo cita os sistemas de controle de emissões de poluentes, como os utilizados nos caminhões. A entidade usa como exemplo a Europa, com normas muito mais rigorosas que as nacionais neste ponto de vista, mas que permite a circulação de carros de passeio impulsionados por diesel. Segundo o grupo, carros com esse tipo de motorização respondem por mais de 50% da venda de carros novos naquele mercado. Em países como França e Espanha, sete de cada dez carros vendidos são equipados com motores diesel.

Dos principais mercados do mundo, o Brasil é o único que não permite o uso de veículos leves com motor diesel. A proibição ocorreu em 1976, justificada pelo governo da época pela crise do petróleo – realidade bem diferente da atual.

Fonte: MotorDream
Foto: Reprodução

Comments are closed.