Conheça o BMW concept 4, o protótipo que antecipa o série 4 – só ele quer ter grade de radiador
13 de setembro de 2019 – 14:45 | Comentários desativados em Conheça o BMW concept 4, o protótipo que antecipa o série 4 – só ele quer ter grade de radiador

Estande da BMW no Salão de Frankfurt dá spoilers sobre as novas gerações do Série 4, além de novidades para o nicho dos SUV-cupê e um novo carro elétrico.
Uma das atrações da BMW  no Salão …

Ler post completo »
Curiosidades

F1

Mercado

Motos

Novidades

Home » Indústria

Dongfeng e estado francês viram acionistas da PSA Peugeot-Citroën

Submitted by on 21 de janeiro de 2014 – 10:32No Comment

06

O conselho de fiscalização da diretoria do grupo francês PSA Peugeot-Citroën aprovou um aumento de capital para atender suas dificuldades financeiras. A operação envolve a entrada no conglomerado, como acionistas, da empresa automotiva chinesa Dongfeng e do Estado francês. Por conta dessa, as ações da PSA Peugeot Citroën sofreram queda na bolsa de valores francesa na manhã dessa terça. Um porta-voz da PSA confirmou que “existe um acordo de princípios” , mas ainda não se estabeleceram os termos e os prazos dessa ampliação de capital da empresa.

O porta-voz afirmou ainda que, no momento, não é possível dizer qual a percentagem das ações irá para a Dondfeng e o governo francês, nem o montante do aumento de capital. Até agora, o cenário ainda confuso dava conta da emissão de novas ações no valor de 3 bilhões de euros. Um volume de capital que permitiria a ambos os novos acionistas obter cerca de 10 % das ações da empresa cada um. A família Peugeot , que atualmente tem 25% das ações da PSA, também participa da operação para tentar manter uma participação em torno de 15% e continuar como acionista majoritária.

Não se sabe ainda quem presidirá o novo grupo, ou em que medida os dois novos acionistas terão representantes no conselho. O atual presidente do conselho de supervisão, Thierry Peugeot , de acordo com a imprensa francesa, argumentou para esperava fazer todo o aumento de capital necessário com vendas de ações ao público geral, para não se tornar dependente dos dois futuros parceiros. Uma posição que entrou em conflito com o presidente do consórcio de investidores família, Robert Peugeot, e com o presidente da diretoria, Philippe Varin.

O ministro das Finanças francês, Pierre Moscovici, perturbado por essas divisões internas na direção da PSA, reuniu-se na terça-feira com representantes da família Peugeot para exigir um acordo rápido. E também para lembrar que o governo francês não será excluído da reestruturação, uma vez que já garantiu 7 bilhões de euros para que o braço financeiro da PSA pudesse continuar operando.

Embora não haja uma data oficial para que os detalhes da transação seja conhecidos , acredita-se que vai acontecer com a apresentação dos resultados financeiros, no dia 19 de fevereiro.

A PSA anunciou hoje que suas vendas globais em 2013 caíram 4,9 %, para 2,819 milhões de veículos, principalmente devido à queda de 7,33 %, para 1.629.000 unidades na Europa. Isso apesar do aumento de 26 1% na China, que é o seu segundo maior mercado depois da França, com 557.000 carros.

As ações da empresa foram afetadas pela notícia do aumento de capital e seu valor depreciado desde os primeiros momentos de negociação na Bolsa de Paris, na manhã dessa terça. Após 20 minutos do início do pregão parisiense, o valor das ações da PSA já haviam caído 6,49%.

Fonte: Alejandro Marimán Ibarra, do AutoCosmos.com com exclusividade no Brasil para MotorDream
Foto: Alejandro Marimán Ibarra

Comments are closed.