Ford abre pré-venda do novo Mustang com preço abaixo do rival Camaro
11 de dezembro de 2017 – 11:07 | Comentários desativados

Após uma longa espera, enfim a Ford traz oficialmente o Mustang para Brasil. O esportivo só desembarcava no país via importação independente. A pré-venda começou nesta segunda-feira (11) ao preço de R$ 299.900, com a …

Ler post completo »
Curiosidades

F1

Mercado

Motos

Novidades

Home » Curiosidades, Dicas, Mercado

Dez dicas para buscar “preço Fipe” na venda do carro usado

Submitted by on 7 de julho de 2017 – 9:16No Comment

Confira os itens mais avaliados por concessionárias, lojas e particulares na hora de comprar seu veículo

carro-venda-dicas-825x550

Na hora de trocar de carro, a Tabela Fipe é uma das principais fontes de consulta para cotar o preço de seu usado no mercado. Os valores exibidos pela ferramente acabam virando uma referência ao negociar o valor do veículo.

Se a venda é para particular, é possível chegar perto e até ‘etiquetar’ com a Fipe. Agora, caso a ideia seja colocar o carro como entrada na negociação de um automóvel zero km ou modelo mais novo, aí que vem a surpresa.

O oferecido pela concessionária ou revenda, geralmente, fica bem abaixo do pretendido, e um dos motivos está no fato de o consumidor não saber quais são os principais pontos que interferem na avaliação de um automóvel.

Segundo Daniel Nino, diretor da AutoAvaliar, sistema de gestão de vendas e estoque do varejo automobilístico, itens como potencial de revenda e situação geral do veículo estão entre os mais observados pelos avaliadores. “Por isso, as concessionárias e lojas raramente compram um usado pelo preço cheio de tabela”, acrescenta.

Com base no aplicativo de cotação e avaliação desenvolvido pelo AutoAvaliar, utilizado em 1,7 mil concessionárias e cerca de 20 mil lojistas multimarcas do país, os especialistas da empresa apontam os dez itens mais relevantes na hora da concessionária ou da loja comprar um automóvel usado.

1. Potencial de revenda

O avaliador considera, por exemplo, o tempo médio que o automóvel ficaria em estoque e também a margem de lucro que a loja teria com a revenda. Modelos mais novos e de marcas populares têm maior aceitação no mercado.

2. Modelos que saíram ou não de linha

Quando uma marca para de fabricar um determinado modelo, a chance do preço desse veículo cair é bastante alta. O mesmo vale para os que passam por atualizações, com novas versões.

3. Valor do seguro

Embora valor do seguro varie de acordo com o tipo de veículo e o perfil de cada proprietário, o custo com a seguradora é também levado em conta na hora da loja comprar ou aceitar um usado na troca. Normalmente, carros com o seguro mais baixo são mais vendáveis.

4. Cheiro de cigarro

Muitos compradores reparam também em pontos menos prováveis, como o mau cheiro no interior, sobretudo o de cigarro. Se você é fumante, evite esse hábito dentro do veículo. Às vezes, os acessórios para aromatizar o interior do carro podem ajudar. Fazer higienização de forma periódica é mais aconselhável.

5. Condição dos pneus

Pneu careca e muito gasto pode realmente desvalorizar o veículo, justamente por se tratar de um item essencial e de alto custo de reposição. Os avaliadores também costumam verificar a qualidade do estepe e, por isso, é essencial mantê-los em boas condições.

6. Condição da pintura

Pequenos arranhões podem fazer grandes estragos na hora de vender seu carro. Antes de colocá-lo à venda, faça uma inspeção por toda a lataria e, se necessário, mande para a funilaria e pintura. Muitas vezes, o custo com o reparo é menor do que o valor retirado na avaliação.

7. Quilometragem

Carros com alta quilometragem costumam desvalorizar na hora da venda. Muitos compradores dão preferência por veículos menos rodados, pois acreditam estar mais conservados.

8. Único dono

Se o carro for de único dono, é sempre importante destacar isso na hora da venda. Automóveis que passaram por várias mãos são desvalorizados, pois nem sempre dá para saber por quais condições já passaram.

9. Situação da lataria

Amassados, manchas, pouco brilho e até pintura suja ou mal feita são pontos que os avaliadores verificam. Vale dar aquela passada na funilaria para uma boa revisão.

10. Situação do estofado e dos bancos

Bancos rasgados, desfiados ou com estofados gastos podem fazer a diferença na hora da avaliação. O ideal é mantê-los sempre bom estado. Se seu carro tem banco de couro, a dica é hidratá-los regularmente.

Texto: Redação

Fonte: Gazeta do Povo

Rodão

Comments are closed.