Volks apresenta versão de rali do novo Polo
14 de dezembro de 2017 – 14:48 | Comentários desativados

A Volkswagen revelou junto com a nova geração do Polo GTI (que não vem para o Brasil) a versão de rali que correrá na categoria R5 do WRC 2 (segmento intermediário do Campeonato Mundial de …

Ler post completo »
Curiosidades

F1

Mercado

Motos

Novidades

Home » F1

Críticas à Pirelli no início do ano foram injustas, afirma diretor

Submitted by on 22 de julho de 2013 – 10:42No Comment

07

O diretor esportivo da Pirelli, Paul Hembery, declarou nesta segunda-feira que as críticas à empresa italiana no início da temporada foram injustas.

Em entrevista ao site “ESPNF1.com”, Hembery alegou que vários membros do conselho administrativo em Milão se queixaram do tratamento recebido pela fabricante nos primeiros GPs. Na ocasião, diversas equipes, especialmente Red Bull e Mercedes, protestaram contra o excessivo desgaste sofrido pelos pneus fabricados para a atual temporada.

“Durante boa parte do campeonato – e vamos tirar Silverstone disso –, sentimos que muitos comentários foram injustos, o que deixou muitas pessoas descontentes. As pessoas queriam usar e manchar nosso nome para seu benefício pessoal, o que é inaceitável”, reclamou o dirigente.

“Mas ninguém parece ser capaz de dizer qualquer coisa hoje na F1, não há verificação e ponderação. As pessoas não enxergam o quadro completo e há muito interesse próprio.”

Hembery também acredita que as pessoas deveriam ser mais cuidadosas ao criticar a Pirelli. Ele cita o histórico da empresa no automobilismo e na F1, categoria na qual acumula 257 GPs desde 1950 – a segunda fabricante com maior número de corridas no esporte, atrás apenas da Goodyear (496 GPs entre 1960 e 1998).

“Há algo que as pessoas realmente precisam analisar, porque muitos podem ver a forma como somos tratados e pensar: ‘Não queremos isso, imagina uma situação dessas conosco’. Então você tem que ser cuidadoso. Somos uma grande empresa e, como disse, queremos permanecer na F1. Estamos fazendo o máximo para realizar o melhor trabalho”, desabafou o dirigente.

“Estamos no automobilismo há 110 anos – tempo maior do que qualquer equipe de F1 – e continuaremos nele por provavelmente mais cem, quando todas elas terem ido embora.”

Fonte: Lucas Berredo / Tazio

Comments are closed.