Conheça o BMW concept 4, o protótipo que antecipa o série 4 – só ele quer ter grade de radiador
13 de setembro de 2019 – 14:45 | Comentários desativados em Conheça o BMW concept 4, o protótipo que antecipa o série 4 – só ele quer ter grade de radiador

Estande da BMW no Salão de Frankfurt dá spoilers sobre as novas gerações do Série 4, além de novidades para o nicho dos SUV-cupê e um novo carro elétrico.
Uma das atrações da BMW  no Salão …

Ler post completo »
Curiosidades

F1

Mercado

Motos

Novidades

Home » Motos

Centenária Indian Motorcycle planeja vender motos no Brasil

Submitted by on 11 de julho de 2013 – 11:03No Comment

19

Criada em 1901, nos Estados Unidos, a centenária Indian Motorcycle planeja operação no Brasil, confirmou ao G1 o grupo Polaris, que adquiriu a marca em 2011. Apesar de oficialmente a empresa ainda não divulgar data específica para sua chegada ao país, seu site global já mostra o aviso de “coming soon” para o Brasil, ou seja, “em breve”, em português. Entre as possibilidades, está a montagem de motos em Manaus.

“A Polaris vem estudando a melhor forma de introduzir a Indian no Brasil. É um mercado ascendente e está no radar da empresa, mas ainda não temos como precisar o tempo”, disse Rodrigo Lourenço, diretor da Polaris Brasil. Atuando com subsidiária no país desde o ano passado, a marca Polaris é especialista em quadriciclos, UTVs (espécie de quadriciclo com habitáculo) e snowmobiles (veículos para a neve). A aquisição da Indian pelo grupo ocorreu em 2011 e a partir daí a marca ganhou novo vigor e investimentos.

Para a futura operação brasileira, a empresa não descarta a possibilidade de montagem de motos no modo CKD, no qual as motos chegam completamente desmontadas, mesmo processo utilizado por BMW, Ducati, Triumph, Harley-Davidson, entre outras. “É um dos cenários que estamos avaliando”, explica Lourenço.

Sobre o mercado que a empresa pretende abocanhar no país, a conterrânea Harley-Davidson aparece como principal concorrente. “Queremos um posicionamento premium. Nossas motos são de alta cilindrada e vamos competir com a Harley-Davidson”, disse Lourenço.

Além de dividir com a H-D a origem norte-americana, a Indian possui linha de motos focada no estilo custom, as famosas estradeiras.

Nova linha Chief a caminho
Nos primórdios do século 20, a Indian chegou a ser considerada a maior fabricante de motos do mundo. Após o período áureo, as atividades cessaram em 1953 e, depois de muitas tentativa de reviver a marca, a Indian Motorcycle voltou a funcionar em 1999, mas sem sucesso e, em 2004, novos empresários assumiram o negócio.

Em 2011, a Polaris comprou a marca e iniciou investimentos, transferindo a produção para Spirit Lake, em Iowa, mesmo local onde o grupo produz as motos da Victory, que acaba de completar 15 anos. Desde então, a empresa se concentra em desenvolver novos produtos e anunciou para o segundo semestre a nova linha Chief.

“A empresa está focada neste lançamento global e o mercado americano é prioritário. A partir daí, a Indian começará a se desenvolver em vários países, entre eles o Brasil”, explica Lourenço. A empresa já divulgou a silhueta da moto e o motor de nova geração que o equipará.

Chamado de Thunder Stroke, o propulsor é bicilíndrico, em V, de 1.819 cm³, que supera 15,89 kgfm de torque, informa a empresa. Para apresentar o propulsor, a Indian construiu o protótipo Spirit of Munro, homenagem ao neozelandês Burt Munro, famoso por quebrar recordes de velocidade no deserto de sal americano de Bonneville.

A Spirit of Munro foi inspirada na clássica Indian Scout de 1920 utilizada por Munro, já com 68 anos, para bater a marca de velocidade, para motos com menos de 1.000 cilindradas, em 1967. Em 2005, a história foi retratada no filme “Desafiando os Limites” (The World’s Fastest Indian), protagonizado por Anthony Hopkins.

Expansão da Polaris no Brasil
Para a marca Polaris, a empresa pretende maior expansão pelo país, onde iniciou operação própria em 2012. De acordo com a marca, o número de lojas deve passar de 7 para 15 até o final de 2013. “O sucesso com os quads fez o grupo Polaris ver o Brasil como uma oportunidade para as motos também”, finaliza Lourenço.

Fonte: Rafael Miotto / G1
Foto: Divulgação

Comments are closed.