Conheça o BMW concept 4, o protótipo que antecipa o série 4 Рsó ele quer ter grade de radiador
13 de setembro de 2019 Р14:45 | Comentários desativados em Conheça o BMW concept 4, o protótipo que antecipa o série 4 Рsó ele quer ter grade de radiador

Estande da BMW no Sal√£o de Frankfurt d√° spoilers sobre as novas gera√ß√Ķes do S√©rie 4, al√©m de novidades para o nicho dos SUV-cup√™ e um novo carro el√©trico.
Uma das atra√ß√Ķes da BMW¬† no Sal√£o …

Ler post completo »
Curiosidades

F1

Mercado

Motos

Novidades

Home » Campeonatos

Carros pra levantar poeira

Submitted by on 26 de junho de 2019 – 10:15No Comment

Uma mamadeira aqui, uma cadeira de praia ali, em volta churrasqueiras de v√°rios tamanhos, cores e recheios. No ar, o aroma dos assados circula imune √† poeira que vem da pista de terra onde modelos de diversos tamanhos e roncos correm em busca do melhor tempo, com a pressa de quem se diverte com descontra√ß√£o. √Č nesse ambiente que remete ao encontro anual de uma grande fam√≠lia, com parentes vindos de estados t√£o distantes quanto Rio Grande do Sul e Mato Grosso, que pilotos baianos disputam o Campeonato Brasileiro de Velocidade na Terra, que ter√° a pr√≥xima etapa em Lu√≠s Eduardo Magalh√£es, dia 4 de agosto.

A modalidade chegou ao Pa√≠s no in√≠cio dos anos 1980 com o nome de “Autocross” e hoje √© mais conhecida como Velocidade na Terra. O Campeonato Brasileiro vive uma fase de renascimento com tr√™s categorias: Autocross (para carros de chassi tubular chamados de “gaiolas”), Turismo (Sidnei da Silva, Rafael Zanini e Julian Carrascossa disputam a temporada brasileira com modelos de produ√ß√£o em s√©rie com motor de at√© 1.600 cm¬≥) e o Kartcross, a que mais cresce no momento.

Foi no grid de 42 desses pequenos monopostos equipados com motores de motocicleta de at√© 250 cm¬≥ que a Bahia teve maior representatividade e inscreveu 10 pilotos. Essas pequenas estruturas de tubos s√£o revestidas de material pl√°stico para proteger o piloto e melhorar a aerodin√Ęmica do carrinho. Em Cordeir√≥polis o melhor resultado dos baianos foi o segundo lugar de Luiz Gabriel Lazzari, jovem que retornou √† categoria ap√≥s uma breve experi√™ncia com gaiolas e hoje e lidera o campeonato baiano da categoria.

A F-1 da terra √© sem d√ļvida a categoria das gaiolas, com chassi tubular equipado com motor VW AP 1.6 e c√Ęmbio de quatro marchas usado nas antigas Kombi de motor diesel. Na prova de Cordeir√≥polis (SP), Adroaldo Weisheimer venceu a segunda prova com autoridade a bordo de um dos monopostos mais modernos do grid.

“Meu carro est√° com o motor instalado mais alto, tem maior dist√Ęncia entre-eixos e o v√£o livre do solo tamb√©m foi aumentado. A maioria das pistas onde corremos tem piso de lama, e essas modifica√ß√Ķes ajudam muito”.

Weisheimer nasceu e cresceu em Barreiras e √© o atual campe√£o baiano de Autocross. Empres√°rio de profiss√£o, ele j√° planeja seu futuro no esporte: construiu uma gaiolinha em escada 1:5 para sua filha Paola ir se acostumando √† velocidade na terra. Detalhe: Paola tem 4 anos, “√© louca por velocidade” e por enquanto s√≥ tem permiss√£o para controlar o volante porque “eu controlo o acelerador andando ao lado do seu carro”, explica o pai.

Saudoso Lelo Bala

O desaparecimento prematuro de Aureliano Campos esfriou o crescimento da Velocidade na Terra em terras baianas. Das tantas pistas criadas pelo saudoso Lelo Bala só a de Luís Eduardo Magalhães continua em franca atividade. Os traçados de Camaçari, Cruz das Almas, Roda Velha e, principalmente, São Francisco do Conde sofrem a falta de união dos pilotos, como explica o presidente da Federação de Automobilismo da Bahia, Miguel Jacob Filho.

“Infelizmente a aus√™ncia do Lelo Bala esfriou um pouco o ambiente da Velocidade da Terra. Apesar da desuni√£o dos pilotos na regi√£o de Salvador, a especialidade re√ļne o segundo maior contingente de pilotos filiados √† FAB. Mesmo assim, temos um grande potencial de crescimento”.

A 70 km de Salvador, a pista de São Francisco do Conde é uma das melhores do Brasil e recebeu o Campeonato Brasileiro de 2017 em grande estilo: cerca de 200 pilotos no traçado de 1.660 metros de extensão e 16 metros de largura. Jacob Filho planeja reativá-la no segundo semestre.

Um pé no agronegócio

Uma das causas da popularidade crescente do Autocross √© seu aspecto “raiz”: as pistas de terra s√£o mais f√°ceis de ser constru√≠das e t√™m conserva√ß√£o mais barata, o investimento em prepara√ß√£o e manuten√ß√£o dos carros √© bem menor quando comparado com o automobilismo de pista. H√° cerca de dois anos o paranaense Gian Roberto Pasquali abra√ßou a causa e conseguiu unir dois elementos fundamentais para o sucesso de qualquer evento: patrocinadores importantes e pilotos unidos.

“Por ser um esporte praticado no campo, a Velocidade na Terra re√ļne muitos fazendeiros, e seu DNA rural atraiu a aten√ß√£o de empresas do agroneg√≥cio, como a ULP e da Firestone, que apoiam o campeonato brasileiro”.

Texto: Wagner Gonzalez

Fonte: Atarde.uol

Portal Rod√£o

Comments are closed.