Volks apresenta versão de rali do novo Polo
14 de dezembro de 2017 – 14:48 | Comentários desativados

A Volkswagen revelou junto com a nova geração do Polo GTI (que não vem para o Brasil) a versão de rali que correrá na categoria R5 do WRC 2 (segmento intermediário do Campeonato Mundial de …

Ler post completo »
Curiosidades

F1

Mercado

Motos

Novidades

Home » Salão

Carro a hidrogênio, que solta água, está longe de ser produzido no país

Submitted by on 31 de outubro de 2014 – 10:29No Comment

03

Uma das principais atrações da Toyota no Salão do Automóvel de São Paulo 2014, o FCV movido a hidrogênio não tem a menor chance de ser produzido no Brasil, pelo menos nas próximas décadas, segundo o CEO da marca para América Latina e Caribe, Steve St. Angelo. “Não deve ser feito no Brasil enquanto eu viver, pelo menos”, afirmou o executivo de 59 anos.

O primeiro automóvel comercial de grande escala que usa hidrogênio como combustível começa a ser vendido no ano que vem, primeiro no Japão e depois nos Estados Unidos, com preço estimado em US$ 70 mil (cerca de R$ 170 mil).

Carro ‘faz’ água

Como funciona? É semelhante aos híbridos que podem ser carregados na tomada (plug-in), mas em vez de energia elétrica, ele tem dois tanques de hidrogênio de alta pressão.

Em uma estação no assoalho no veículo, o hidrogênio é quebrado em 2 moléculas, o que gera uma descarga elétrica. Essa energia é direcionada a um conversor de tensão, que alimenta uma bateria. O resultado dessa reação é água, que sai pelo escapamento.

Um dos motivos que deixam o FCV distante do Brasil é a necessidade de uma infraestrutura de postos para abastecimento com hidrogênio – a rede já está sendo instalada no Japão. De acordo com a fabricante, uma recarga leva apenas 3 minutos.

O uso de hidrogênio como combustível é estudado pela indústria há pelo menos duas décadas – todas as grandes montadoras já apresentaram protótipos, mas nenhuma apostou comercialmente nela como a Toyota.

Prius

Se o FCV está longe, o Prius está mais próximo. Segundo o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, o modelo será montado em São Bernardo do Campo (SP), com proposta já aprovada pelos trabalhadores.

O governo federal já reduziu o imposto para híbridos, mas a cúpula da Toyota ainda não confirmou oficialmente a decisão de fazer o Prius por aqui. A empresa tampouco divulgou os novos preços do híbrido, que estão sendo vendidos pelos mesmos R$ 120 mil com tributação “cheia”.

Segundo Luiz Carlos Andrade Jr., vice-presidente executivo da Toyota, a demora ocorre porque os modelos que estão nas lojas foram importados antes do incentivo – uma nova leva chegará em janeiro, aí sim com custos menores.

Conceitos

Com desenho criado especificamente para o jogo Grand Turismo 6, o Toyota FT-1 saiu dos consoles e ganhou uma versão no mundo real, mostrada pela primeira vez no Salão de Detroit, em janeiro. Na ocasião, ele foi visto como um estudo para o futuro sucessor do Supra.

Outro vislumbre de como a marca japonesa vê a mobilidade daqui uns anos é o conceito FV2. Apresentado no Salão de Tóquio do ano passado, o veículo é não tem volante e o comando vem do movimento corporal do motorista. Além disso, ele se conecta com outros carros e reconhece o humor do condutor pela voz, de acordo com a empresa.

Realidade

Entre planos e tecnologias distantes do consumidor, o Salão tem poucas novidades práticas: apenas uma versão limitada da Hilux, um SW4 com motor flex para 7 pessoas e o RAV4 2015 que chega ao mercado em janeiro. Sucesso de vendas, o Corollax ganhou uma edição assinada pelo estilista Alexandre Herchcovich.

Salão do Automóvel de SP
Quando: de 30/10 a 9/11
Onde: Pavilhões de Exposição no Anhembi
Horários: de 30/10 a 8/11, das 13h às 22h (entrada até às 21h); dia 9/10, das 11h às 19h (entrada até às 17h).
Ingressos:
Inteira – R$ 40 (somente no dia 30/10); R$ 60 em dias de semana; R$ 80 fins de semana;
Meia-entrada para estudantes e crianças de 6 a 12 anos
O ingresso pode ser comprado pelo site http://premier.ticketsforfun.com.br , que cobra taxa de conveniência (10%). Ou nas bilheterias do Anhembi, sem taxa.

Fonte: Peter Fussy / G1
Foto: Alan Morici/G1

Comments are closed.