Golf 2019 terá motor 1.0 TSI com Tiptronic, segundo jornal
10 de maio de 2018 – 9:16 | Comentários desativados

O Volkswagen Golf 2019 está bem perto de chegar e já tem estoque sendo formado no pátio de São José dos Pinhais-PR. O hatch médio da marca alemã vai se renovar para manter acesa a …

Ler post completo »
Curiosidades

F1

Mercado

Motos

Novidades

Home » Indústria

APÓS ESCÂNDALO, NISSAN ASSUME CONTROLE ACIONÁRIO DA MITSUBISHI

Submitted by on 13 de maio de 2016 – 7:58No Comment

painel-do-lancer-sportback-ralliart-da-mitsubishi

Menos de um mês após a divulgação do escândalo em que assumiu fraudar testes de consumo no Japão, a Mitsubishi Motors teve 34% de suas ações adquiridas pela Nissan, num negócio de US$ 2,2 bilhões. Na prática, a Nissan (presidida pelo brasileiro Carlos Ghosn) torna-se a principal acionista da empresa, historicamente ligada ao grupo Mitsubshi, um dos maiores conglomerados industriais e financeiros do planeta.

A polêmica do consumo foi descoberta pela própria Nissan, para quem a Mitsubishi fabricava microcarros destinados ao mercado japonês. A queda acentuada no valor das ações da Mitsubishi deu mais impulso ao processo de compra, que já era alvo de boatos antes mesmo da crise. Com isso, a Mitsubishi pode voltar a ter uma injeção de capital para novos investimentos e correções, a exemplo do que houve com a própria Nissan em 1999, quando a Renault tornou-se sua principal acionista, formando a aliança Renault-Nissan, hoje o quarto maior produtor de automóveis do mundo.

Segundo o CEO Ghosn, a nova aliança deve envolver compartilhamento de plataformas, fornecedores, manufatura e pesquisa tecnológica, numa estratégia para redução de custos que deve manter a identidade própria da linha Mitsubishi. “Nós não vamos mudar a Mitsubishi. A Mitsubishi é que vai mudar por si própria. E nós vamos ajudá-los a fazer isso”.

O negócio também confirma as previsões de que o número de fabricantes japoneses deve diminuir nos próximos anos. Analistas acreditam que, no futuro, o processo de fusão concentre as marcas em apenas três: Toyota, Honda e Nissan, o que significaria a absorção de nomes como Suzuki, Mazda, Subaru e Daihatsu.

Fonte: Quatro Rodas
Texto: Redação

Comments are closed.