Toyota divulga imagens de sua nova frota de carros elétricos
11 de junho de 2019 – 9:24 | Comentários desativados em Toyota divulga imagens de sua nova frota de carros elétricos

A montadora anunciou seus planos para um futuro de carros elétricos e divulgou as primeiras imagens de sua nova frota sustentável, que será lançada globalmente em 2025.
A Toyota foi uma das percursoras na adoção de …

Ler post completo »
Curiosidades

F1

Mercado

Motos

Novidades

Home » Campeonatos

Acidente de Stewart faz Nascar repensar liberdade de seus pilotos

Submitted by on 9 de agosto de 2013 – 10:41No Comment

06

O acidente sofrido por Tony Stewart na última segunda-feira, durante uma corrida de sprint, em um pequeno evento em pista de terra, está fazendo donos de equipes e até mesmo alguns pilotos repensarem esta liberdade que os competidores têm de participarem em eventos paralelos à Nascar.

É algo parecido ao que aconteceu em anos passados na F1, como no acidente de Robert Kubica em uma prova de rali, e que fez com que os pilotos do Mundial ficassem cada vez mais restritos sobre suas atividades. Alguns contratos de hoje proíbem não só a participação em outros tipos de corrida, mas também a prática de qualquer atividade considerada perigosa, como esquiar, andar de moto e etc.

Tricampeão da Sprint Cup, Stewart, que tem costume de participar de corridas de sprint cars, sofreu fratura na tíbia direita e na fíbula após uma colisão múltipla no oval de Southern Iowa e está fora por tempo indeterminado das corridas. E claro que boa parte de sua liberdade existe pelo fato de ele ser dono de sua equipe. Por outro lado, o caso deve fazer com que a discussão ganhe força nos próximos meses.

“Definitivamente isso fará alguns dos proprietários de equipes pensarem melhor sobre seus pilotos”, declarou David Ragan, durante um evento na última quarta-feira, em Charlotte. O próprio piloto tem um corrida já agendada para a próxima terça-feira – dois dias depois da etapa de Watkins Glen da Nascar – em Gastonia, na Carolina no Norte, em uma pista de terra.

“Acho que isso [o acidente de Stewart] fará com que patrocinadores pensem quando estiverem redigindo seus contratos para a próxima temporada, fazendo acordos de dois ou três anos. Eles irão pensar sobre os riscos que alguns de seus pilotos podem assumir. Não é apenas sobre outros tipos de corrida, mas também em sair para esquiar, pular de paraquedas… Talvez Travis Pastrana fique liberado para fazer esse tipo de coisa, pois é a vida dele. Mas fazemos muitas coisas divertidas fora do esporte, e precisamos ser inteligentes”, continuou.

Esta não é a primeira vez que um piloto da Nascar se lesiona em uma prova fora do âmbito da categoria. Só que, na opinão do ex-piloto e atual analista da TV americana, Darrell Waltrip, o fato de ser um problema com alguém da dimensão de Stewart faz com que a discussão ganhe mais importância.

“Quando uma lesão acontece com um piloto como Tony, uma das estrelas de maior visibilidade da categoria, assim como a morte de Dale Earnhardt promoveu inovações na segurança, todo mundo olha mais de perto [a questão]. Já discutimos se é inteligente correr em outras categorias, especialmente sprint cars. Mas acho que a lesão de Tony provavelmente foi a gota d’água. Alguns proprietários de equipes e pilotos agora vão decidir que isso é muito arriscado e diminuir [este tipo de participação”, declarou.

Em junho, Jason Leffler, piloto que já tinha passado pela Indy, e que 2001 fazia algumas corridas a cada temporada na Sprint Cup, morreu também em uma corrida sprint car, em pista de terra. Só que outras pequenas categorias também estão no alvo dos donos de times da Nascar, como as late models e provas regionais com carros modificados. Não é incomum ver pilotos da Nascar em corridas deste tipo.

Kyle Petty, ex-piloto que hoje também é comentarista na TV americana, acredita que um acordo entre equipes e pilotos será difícil, já que a cultura de correr nestas provas regionais está bastante presente entre diversos competidores da Nascar há muitos anos.

“Os proprietários vão rever seus contratos? Talvez. Se eu fosse um dono [de equipe] com um piloto e 300 empregados que dependem de que o piloto esteja no carro a cada final de semana, pois o patrocinador dele me paga, então, eu não vou tentar apenas me proteger, mas proteger o meu negócio e meus funcionários. É assim que o proprietário vê a situação.”

“Como piloto, vou dizer: ‘Isso é o que faço. Não vivo em uma bolha. Tenho viver e não posso fazer apenas uma coisa. Quero pilotar tudo que eu possa.’ Alguns pilotos não vai mais andar em outros tipos de carros. Muitos deles andam apenas na [Sprint] Cup. E existem outros, como Kasey Kahne, Tony Stewart, Kyle Busch e outros, que irão correr em tudo que tiver quatro rodas e um volante. Não é uma grande revolução, mas o acidente do Tony joga uma luz em um problema que certamente paira sobre pilotos e donos de equipe.”

Fonte: Lucas Santochi / Tazio
Foto: Divulgação

Comments are closed.