Ford abre pré-venda do novo Mustang com preço abaixo do rival Camaro
11 de dezembro de 2017 – 11:07 | Comentários desativados

Após uma longa espera, enfim a Ford traz oficialmente o Mustang para Brasil. O esportivo só desembarcava no país via importação independente. A pré-venda começou nesta segunda-feira (11) ao preço de R$ 299.900, com a …

Ler post completo »
Curiosidades

F1

Mercado

Motos

Novidades

Home » Dicas

10 dicas para pilotar sua moto melhor

Submitted by on 25 de novembro de 2014 – 10:45No Comment

10

Começar a andar de moto pede o mínimo de equilíbrio e algum controle dos comandos. Algo que é ensinado em moto-escolas, mas que pode (e deve) ser aprimorado com a prática. Ter uma moto adequada ao seu porte físico ajuda muito no início, além de saber dosar embreagem, acelerador e freios.

E sempre que você achar que está “pilotando” muito, de maneira mais rápida e arrojada, fica a sugestão: é nessas horas que pode surgir uma fechada de um motorista, ou um simples erro que te leva direto para o chão. Bom senso é sempre recomendável, independentemente da aptidão do motociclista. A seguir, conheça algumas dicas importantes para se dar em meio ao trânsito:

1 РAndar de moto requer mais do que concentra̤̣o
É necessário estar bem fisicamente, ou, pelo menos, bem acordado. Evite pilotar muito cansado, sob efeito de remédios ou até de “ressaca”. Alguns medicamentos causam sono. E conheça bem seus limites: se pilota há pouco tempo, evite longas viagens com chuva ou à noite, por exemplo.

2 РAreas urbanas exigem mais aten̤̣o
Tanto com pedestres, às vezes imprudentes ao atravessar a rua, como ao passar por veículos. Caminhões e ônibus têm pontos cegos maiores, portanto você pode levar uma fechada porque sua moto não foi vista. Tente antecipar situações de risco e aglomerações de veículos, e saiba que boa parte dos acidentes ocorre próximo à sua própria casa, por distrações simples.

3 – Grande parte dos acidentes acontece em cruzamentos
Além de esperar o semáforo abrir, olhe para a via que fechou e certifique-se de que todos pararam. Quem está de carro normalmente tem apenas danos materiais com uma colisão, mas de moto se pode sofrer sérios traumas. Também preste atenção se for o primeiro a parar em semáforos ou pedágios: motoristas distraídos podem colidir com sua moto. Fique sempre de olho no retrovisor quando for parar.

4 РṆo pense que capacete aberto protege
E não confie 100% em modelos basculantes. Capacete deve ser fechado, justo na cabeça, e sempre afivelado. O capacete dura três anos e, em caso de acidente, precisa ser trocado mesmo sem danos visíveis.

5 – Se estiver passeando em grupo, rode na sua tocada e respeite seus limites
Não é porque alguém à sua frente está indo bem nas curvas que você deve segui-lo. Mantenha sempre distância segura, de pelo menos dois segundos do veículo à frente: ou seja, quanto maior a velocidade, maior a distância. Use seu campo de visão não apenas em curtas distâncias, mas também lá na frente, e em entradas ou retornos. Segundo o jornalista e instrutor de pilotagem Tite Simões, da Abtrans, “use a formação que chamamos de pegada na areia, intercalando as motos como as marcas que deixamos quando caminhamos na praia”.

6 РAo cobrir dist̢ncias mais longas, pare a cada duas horas
Aproveite para tomar um café, alongar braços e pernas para então seguir viagem. Na hora do almoço, dê preferência para refeições leves. Ao menor sinal de sono, pare para uma soneca. De acordo com Tite, “o único remédio para sono é dormir. Não pense que não dá para dormir na moto, conheço casos de pessoas que até sonham!”

7 РPosi̤̣o correta ̩ fundamental para ter controle
Respeite cada tipo de moto e sua ergonomia: o contato dos pés com as pedaleiras e das coxas com o tanque aumenta a capacidade de desvios rápidos, além de aumentar a segurança e controle em curvas. Nos contornos, a tendência é o corpo ir para o lado oposto à curva. Uma dica é inclinar a cabeça e o tronco junto com a moto, de maneira a ajudá-la a vencer a inércia.

8 – O freio dianteiro deve ser o principal
Na maioria das motos, freia-se 70% na dianteira e 30% atrás. O freio traseiro é usado mais para equilibrar a frenagem. Só em modelos custom e scooters se pode modular as paradas usando 50% de cada freio. Ainda de acordo com Tite Simões, “frear motos exige muita experiência porque varia conforme a situação, tipo de moto e piso. Por isso os sistemas são independentes, enquanto no carro os freios são comandados por um pedal só”. Motos com o antitravamento ABS são uma boa pedida, mas deve-se ficar atento à atuação do sistema em pisos irregulares, o que pode comprometer a correta frenagem. Pneus carecas devem ser descartados, pois não garantem eficiência. Como são apenas dois, imagine a importância deles em um sufoco, ou mesmo na chuva.

9 РConhe̤a a sua moto e fa̤a manuten̤̣o em dia
Itens como pneus, freios (e fluido) devem ser checados antes de sair. Use uma lista de checagem obedecendo a sigla P-CLOC: Pneus, Combustível, Luzes, Óleo e Corrente.

10 – Informe-se!
A formação dos motociclistas é muito falha e nem sempre o novato busca se informar. E quando se interessa acaba caindo em fóruns de Internet com teorias equivocadas. O ideal é procurar empresas sérias e especializadas que possam complementar o curso básico da moto-escola. Hoje existem cursos de pilotagem em vários níveis que atendem as necessidades de qualquer motociclista, independentemente do nível de experiência e tipo de moto.

Fonte: Guilherme Silveira / Auto Esporte
Foto: Divulgação

Comments are closed.